Xi Jinping e sua era (6)
 
2017/11/28

UM LÍDER MUNDIAL

Em janeiro de 2017, Xi Jinping visitou Genebra, um lugar que tem testemunhado o desenvolvimento da diplomacia da Nova China, e pronunciou um discurso intitulado Trabalhar para Construir Uma Comunidade de Futuro Compartilhado para a Humanidade.

Em um discurso de 47 minutos, Xi foi aplaudido mais de 30 vezes. Nas partes-chave do discurso, quase todas as frases foram aplaudidas.

Ele descreveu esta comunidade de futuro compartilhado como um mundo aberto, inclusivo, limpo e bonito com paz duradoura, segurança e prosperidade comuns.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse que as Nações Unidas se unirão à China na promoção da paz e desenvolvimento do mundo, e na realização da meta de construir uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade.

Em fevereiro, a 55ª Comissão da ONU para o Desenvolvimento Social (CSocD, na sigla em inglês) aprovou uma resolução por consenso, pedindo mais apoio ao desenvolvimento econômico e social da África adotando o espírito de construir "uma comunidade humana com destino compartilhado".

Foi a primeira vez que uma resolução da ONU incorporou este importante conceito chinês.

Em junho de 2016, na cerimônia de chegada de um trem de carga China-Europa em Varsóvia, Xi Jinping e o presidente polonês Andrzej Duda saborearam juntos maçãs polonesas. Hoje, produtos como maçãs polonesas são exportadas para a China com a ajuda da Iniciativa do Cinturão e Rota.

Como o arquiteto-chefe da Iniciativa do Cinturão e Rota, Xi forneceu uma plataforma inclusiva para que os países acelerem o desenvolvimento. Mais de 100 países e organizações internacionais expressaram apoio ou participaram da iniciativa.

Em maio de 2017, Xi Jinping presidiu o Fórum do Cinturão e Rota para Cooperação Internacional, a reunião internacional mais importante que a China propôs. Os representantes das principais economias do mundo, incluindo todos os países do G7, estavam presentes no fórum.

Para a comunidade internacional, Xi Jinping é um firme defensor da globalização econômica. Ele foi o primeiro chefe de Estado chinês a participar do Fórum Econômico Mundial em Davos.

Seu discurso em Davos foi impressionante: "Buscar o protecionismo é como prender alguém em um lugar escuro. Embora vento e chuva possam ser mantidos fora, o lugar escuro também bloqueia luz e o ar. Ninguém surgirá como um vencedor em uma guerra comercial".

O jornal alemão Handelsblatt comentou que o presidente chinês estava defendendo uma globalização mais justa em seu discurso. O líder do maior partido comunista do mundo se tornou o maior defensor do livre comércio em Davos.

Xi defende o crescimento compartilhado através do diálogo e colaboração na governança mundial e impulsiona uma ordem internacional mais justa e razoável. Ele propôs manter a justiça enquanto se busca os interesses compartilhados.

Xi deseja um novo pensar sobre a segurança comum, abrangente, cooperativa e sustentável; desenvolvimento aberto, inovador e inclusivo que beneficia a todos; e intercâmbios interculturais caracterizados pela harmonia na diversidade, abrangência e aprendizagem mútua.

Ele propôs estes conceitos na Cúpula do BRICS em Xiamen, Cúpula do G20 em Hangzhou, 22ª Reunião dos Líderes Econômicos da APEC, em Beijing, 4ª Cúpula da Conferência sobre Interação e Medidas de Construção da Confiança na Ásia (CICA), realizada em Shanghai, e em outros eventos internacionais.

Nos últimos cinco anos, Xi visitou 57 países e importantes organizações internacionais e regionais que cobrem cinco continentes, com uma distância total de viagens equivalente a circular a Terra 14 vezes. Segundo protocolos oficiais do Ministério das Relações Exteriores, suas agendas para as visitas no exterior são sempre apertadas e ocupadas com um evento seguido de perto por outro.

Quando presidiu a Cúpula de Joanesburgo do Fórum de Cooperação China-África, na África do Sul, ele ainda participou de reuniões bilaterais à meia-noite; durante a Cúpula do BRICS, em Goa, Índia, ele saiu do hotel às 8h da manhã e não retornou até quase 1h na manhã do dia seguinte.

Em cinco anos, Xi reuniu-se com o presidente russo Vladimir Putin durante 20 ocasiões. Sua amizade sólida colocou os laços bilaterais na sua melhor fase da história. Ele teve conversas sinceras com o ex e o atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama e Donald Trump, promovendo a confiança ao reduzir as desconfianças e traçar o futuro dos laços bilaterais.

Xi é o primeiro chefe de Estado chinês a visitar a sede da União Europeia. Ele também visitou todos os principais países da Europa, explorando relações especiais entre a China e cada um dos países. A Europa abrange quase um terço dos 57 membros fundadores do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura, proposto pela China.

Ele propôs a diplomacia da amizade, sinceridade, benefício mútuo e abrangência para com os vizinhos. Ele visitou a África, América Latina e Oriente Médio, avançando a diplomacia da China em todas as frentes.

O Wall Street Journal informou: "No cenário mundial, Sr. Xi retratou a China como uma alternativa para o Oeste, com um sistema político e cultural únicos, e como um líder em áreas de comércio, igualdade e mudança climática."

Muitos acreditam que a sabedoria e as soluções de Xi nos assuntos diplomáticos ajudaram a evitar um "confronto de civilizações", a assim chamada "Armadilha de Tucídides" e "Armadilha de Kindleberger".

No 19º Congresso Nacional do PCC, Xi disse que a diplomacia de um grande país com características chinesas visa fomentar um novo tipo de relações internacionais e construir uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade, quando ele elaborou o Pensamento sobre o Socialismo com Características Chinesas na Nova Época.

É uma filosofia sempre defendida por Xi conforme um compromisso emocional de servir às pessoas em todo o mundo como seu dever. Isso manifesta a visão e o empreendimento globais do líder de um grande país para combinar o próprio desenvolvimento da China com o do mundo inteiro, transcendendo os pensamentos das tradicionais escolas ocidentais sobre relações internacionais que se baseiam em um jogo de zero soma e política de força.

O conhecimento extenso de literatura e artes de Xi o torna comunicativo no cenário internacional. Ao ser entrevistado antes de uma visita à Rússia para explicar a amizade bilateral, ele mencionou quase 10 escritores russos cujos obras impressionaram muito a ele quando era jovem. Ao visitar a Europa, ele falou de diversas celebridades culturais francesas e alemãs, se aproximando dos moradores locais e expressando sua opinião sobre o mundo e a vida através da expressão literária e artística.

Ele sempre usa uma linguagem vívida para explicar o "caminho chinês": China é um "leão pacífico, amigável e civilizado"; A China é um "gigante", não um "demônio"; "Bem-vindo a bordo do trem do desenvolvimento rápido da China".

Xi trata os outros com sinceridade, cordialidade, atenção e franqueza. Putin disse uma vez que Xi mandou para ele um bolo do aniversário durante as reuniões da APEC em 2013 e eles beberam vodka com sanduíches. Em julho de 2016, o presidente da República do Congo, Denis Sassou Nguesso, visitou a China pela 14ª vez. Xi deu-lhe mais de 70 fotos sobre suas visitas anteriores como presente. Como guerras civis no país de Sassou Nguesso danificaram os arquivos, ele disse que aquele era o presente mais precioso que já havia recebido.

Quando concedeu um prêmio a um veterano russo que lutou para a China durante a Segunda Guerra Mundial, Xi viu que ele tinha dificuldade para se mover e disse imediatamente "Deixe-me ir ao seu encontro. Você pode ficar aí." Ele também estima as antigas amizades e cumpriu com suas palavras com uma visita à família de um falecido amigo, Jim Bacon, na Austrália.

Uma foto de Xi e a estrela de futebol Sergio Aguero atraiu um grande número de comentários online. Na Argentina, ele aceitou felizmente uma camiseta Nº.10 com seu nome. Xi disse à imprensa que gosta de esportes, incluindo futebol, basquete, vôlei e boxe. Ele também buscou tempo no seu ocupado trabalho para nadar mil metros de uma única vez.

Sua esposa Peng Liyuan acompanha o presidente em algumas de suas viagens ao exterior e se tornou uma estrela da diplomacia chinesa. No outono de 2015, Peng Liyuan fez discursos nas Nações Unidas com inglês fluente, um sobre o seu "Sonho Chinês" -- "Eu espero que todas as crianças, especialmente as meninas, possam ter acesso à boa educação. Esse é meu Sonho Chinês." O outro refere-se as histórias entre ela e as crianças órfãs portadoras de HIV.

Os detalhes de suas viagens no exterior mostram a cordialidade simples de uma família chinesa. Todas as vezes depois da abertura da porta da cabine de seu avião, o casal sempre desceu as escadas de mãos dadas, com roupas adequadas e gestos corporais. Em junho de 2013, eles visitaram uma família rural na Costa Rica. Quando o anfitrião ofereceu lanches, Xi naturalmente pegou um e disse "nós dois podemos dividir este". Depois passou o lanche para Peng Liyuan para que dividisse ele pela metade. (continua)

 

 

Suggest to a friend
  Print
©2009 Embaixada da República Popular da China Todos os Direitos Reservados