Início > Notícias de Atualidade
Comércio eletrônico transforma vida nas áreas rurais da China
2017/07/11

Beijing, 11 jul (Xinhua) -- Todos os dias Chen Yandong entrega dezenas de pacotes para os residentes na vila de Gaozhai na Província de Gansu, no noroeste da China.

De geladeiras a ar-condicionado até utensílios como navalhas e pasta de dentes, Chen ainda se surpreende como os residentes da aldeia remota usam a internet para tornar suas vidas mais convenientes.

"As pessoas estão felizes por terem acesso a bons preços e produtos de qualidade dos vendedores online", disse Chen.

O comércio eletrônico está ajudando a revitalizar as aldeias rurais, onde está a metade da população do país. Também tornou-se um novo motor de crescimento para o consumo na segunda maior economia do mundo.

A China é o maior mercado de comércio eletrônico do mundo. O crescimento nas receitas dos residentes rurais fez com que o aumento nas compras a varejo online pelos compradores rurais tenha ultrapassado a dos residentes urbanos.

Os residentes rurais da China gastaram 894,54 bilhões de yuans (US$ 131,47 bilhões) online em 2016, representando 17,4% do total nacional, de acordo com o Ministério do Comércio.

O comércio eletrônico também abre as portas ao enorme mercado rural para as empresas e os agricultores.

A Alibaba, que iniciou a estratégia rural em sua plataforma de comércio eletrônico Taobao em 2014, estabeleceu vários centros de serviço locais em cerca de 30 mil aldeias em 700 distritos para apoiar seus negócios de e-commerce e fornecer serviços de entregue nas áreas rurais.

Para satisfazer a crescente demanda, o gigante de comércio eletrônico JD.com está expandindo seu centro de serviços, criando mais de 300 mil empregos nas áreas rurais.

Os agricultores também conseguiram bons rendimentos ao vender os produtos primários online.

Li Chunwang, do distrito de Wugong na Província de Shaanxi, estabeleceu uma empresa que compra frutas dos agricultores e as vende online. Anteriormente, a receita anual era cerca de 3 milhões de yuans. Em 2016, aumentou para cerca de 300 milhões de yuans.

A cidade de Donggang, na Província de Liaoning, nordeste da China, é conhecida por seus morangos. Em 2016, mais de 80% da produção de morangos foi vendida online. Nos primeiros três meses deste ano, as vendas online chegaram a 1,2 milhão de yuans.

Tian Yihong, secretário do Partido Comunista da China no distrito de Wugong, disse que o e-commerce dá impulso à agricultura local e os agricultores não precisam ficar presos no nível mais baixo da cadeia de valores.

O governo reiterou seu apoio ao comércio eletrônico nas áreas rurais menos desenvolvidas. O Ministério do Comércio anunciou em outubro de 2016 que daria apoio de política para os pequenos varejistas online para baixar seus custos operacionais.

Mais será feito para apoiar e promover os negócios online operando nas regiões rurais, e programas de treinamento serão oferecidos aos proprietários de pequenos negócios.

Como parte do objetivo do governo chinês para eliminar a pobreza antes de 2020, o ministério criou mais de mil "Vilas do Taobao" durante os últimos dez anos.

A receita de vendas online em 105 distritos pobres a nível nacional, incluindo os distritos modelo elogiados pelo Ministério do Comércio, chegou a 220 milhões de yuans em média em 2016.

Suggest to a friend   
Print